Eles acertaram!

Por Camila Serafim e Karina Bertolla

Após meses falando sobre erros, dessa vez resolvemos variar um pouco…

Com este propósito, neste post de encerramento do semestre, resolvemos apresentar à vocês um grande acerto que envolve o jornalismo, uma iniciativa social e grandiosa, capaz de  trazer motivação de vida para muitas pessoas que talvez julguem não ter saída…ou que, simplesmente, não tenham uma oportunidade de recomeçar.

Inspirada em uma revista de cunho social de Londres, “The Big Issue”, surge em 2001 no Brasil a Organização Civil de Ação Social – OCAS, revista que é vendida por moradores de rua das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

A revista possui inspiração em modelo inglês

A revista possui inspiração em modelo inglês

O projeto, que não recebe ajuda governamental, é mantido por doações, patrocínios, parcerias e trabalho voluntário. Cada vendedor compra a revista por R$ 1,00 e revende por R$ 3,00 em pontos estratégicos da cidade como centros culturais, universidades e praças públicas.

Para conhecer melhor essa iniciativa, entramos em contato com a acessora de imprensa da sede de São Paulo, Yara Verônica, que nos colocou em contato direto com a ONG e afirmou: ” É um trabalho voluntário que enche o coração da gente de energia positiva, porque sabemos que com apoio as pessoas podem sair de uma situação difícil e é isso que move a todos nós voluntários da OCAS.”

E por isso, na manhã desta segunda- feira, 7 de junho, parte da Equipe do Nós Erramos foi visitar a ONG.
Chegando lá fomos muito bem recebidas por duas voluntárias, Nobuco Soga e Maria Cristina Gobe, que nos apresentaram alguns dos vendedores que falaram sobre sua vivência nas ruas e como é vender OCAS.

Segundo Edmilson, que prefere ser chamado de Braian Smith, que entre idas e vindas está no projeto há 5 anos: ” Se não quer roubar, traficar, se prostituir ou virar marreteiro na 25 de Março, vende OCAS”.

Bryan, que além de vendedor é leitor e inclusive já escreveu matérias para a revista, diz que seu  editorial é livre e aborda temas voltados à cultura, música, teatro e cinema. “A gente não vende OCAS para levantar um nome ou uma firma” , disse ele com a mesma convicção que usa para abordar possíveis compradores.

Conhecemos também outra figura singular, José Fernandes, mais conhecido como Zeca, que conheceu a OCAS  em 2002 e é vendedor da revista desde então.
“A OCAS é um norte que se dá na vida das pessoas que vivem em situação de rua. Por mais forte que você seja, sua auto-estima vai lá embaixo”, conta ele que vive em um albergue da cidade de São Paulo.

Conversando com estes moradores de rua, que relataram momentos de sua vida, as difilcudades enfrentadas devido ao preconceito, pudemos perceber que informação não está ligada ao nível social de alguém, mas sim a sua sede de conhecimento e descobertas. Neste caso, o jornalismo trouxe mais que informação, trouxe opurtunidade de renda sustentável, de inserção na sociedade e desenvolvimento de senso crítico, algo muito perceptível em cada resposta dada por eles.

Da esq. para direita - Zeca, Maria Alice (terapeuta do projeto) e Braian

Da esq. para direita - Zeca, Maria Alice (terapeuta do projeto) e Braian

Brian e Zeca nos fizeram ter certeza de uma coisa: ter opinião formada sobre um determinado assunto e posicionamento crítico é possível a qualquer um que, simplesmente, queira.

A OCAS tem como parceira a Rede Rua, associação sem fins lucrativos, que publica mensalmente um jornal ” O Trecheiro” e divulga movimentos, entidades e grupos sociais populares.

E sabe como conhecemos a instituição? Zeca fez questão de nos levar até lá e apresentar-nos o editor, Alderon Costa, que defende os direitos dos moradores de rua e, como parece ser inevitável, nos apresentou um erro: Em uma de suas matérias, o jornal Metrô News referiu- se aos moradores de rua como “mendigos”, palavra considerada pejorativa e generalizadora.

E é assim mesmo como essas pessoas são vistas pela maioria…São todos considerados pedidentes e desocupados!

O Trecheiro então lançou a campanha: “Somos cidadãos, mendigo é a…

Campanha Sou cidadão

 Hoje pudemos descobrir um outro lado. O lado do esforço e da perseverança que nós queremos ver crescer cada vez mais e, sem dúvida, faremos o possível para que aconteça!

Campanha Sou cidadão lançada pelo jornal “O Trecheiro”
Anúncios

2 comentários

Filed under Junho 2009

2 responses to “Eles acertaram!

  1. Parabens Meninas

    esse post ficou sensacional.
    tem que ser divulgado.

    beijos

  2. A iniciativa de vocês divulgarem tal projeto é outro grande acerto.

    Parabéns pelo blog também!

    Seria muito legal se vocês continuassem…

    Ps: perdoe a demora para os comentários…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s